terça-feira, 26 de julho de 2011

Novela de uma gordinha... - 2° parte

Trabalhando por dentro.

Tínhamos marcado os encontros para pesagem e tirar medidas as segundas à noite. Achava aquilo o fim da picada... Logo após o fim de semana??? Mas Mari me disse que não havia diferença. Que aquilo era coisa da minha cabeça e seria a primeira coisa a sair.

- Primeira a sair?

- Sim... Nós temos muitos conceitos, convicções e mitos referentes ao emagrecimento. Não tem diferença se a gente se pesa na segunda ou terça ou quarta ou quinta ou sexta ou sábado ou domingo. O peso que a gente começa a semana tem a mesma variação na semana seguinte! Ou você é uma daquelas que fazem dieta de 2° a 6° e no fim de semana compensa tudo o que não comeu durante a semana? Então você tem um peso mais pesado na segunda e um peso mais leve na sexta! Grande Variação!!!

Aquilo me fez ficar envergonhada e rir ao mesmo tempo... quantas vezes eu já joguei a dieta para o alto por causa de um Chopp sexta à noite ou uma Pizza no sábado? Eu baixei a cabeça olhando para a balança no canto da sala. Ela pegou o meu diário e começou a olhar a parte branca, onde eu anotava o que eu comia...

- Isso é o que você come quando não está fazendo regime? - Eu suspirei.

- Mais ou menos; Isso é o que eu como quando estou de dieta. Às vezes eu acho que ela nunca vai terminar... - Ela passou para a bege.

- Você bebe pouca água... - Dei outro suspiro. Era uma coisa que eu procurava remediar mas a cada tentativa, um novo fracasso.

- Vamos ver... - Ela pegou um estojo de canetas coloridas e começou a riscar o meu diário. Em pouco tempo ele estava todo colorido. Não pode deixar de rir e me sentir curiosa pelo O QUE ela fazia. Em minutos ela voltou para o início.

- Você come muito doce quando está frustrada ou triste... Tem predileção por chocolates á noite depois que chega do trabalho. A palavra que aparece mais aqui à noite é CHATEADA. Você se chateia com o que? Por que? - Isso me fez parar para pensar um pouco. Meu marido e eu pouco conversávamos.... fruto da rotina de uma união de 12 anos. Ele ia para o escritório. Eu devorava uma caixa de chocolate ou uma barra que eu sempre comprava para fazer uma cobertura para um "futuro bolo" que nunca tive paciência para fazer. TJ, meu filho de 4 anos, normalmente acordava no meio da noite, me acordava no sofá e eu me arrastava para cama. Mas eu não ia para cama sem antes atacar bombons ou balas... Dei os ombros.


- Não sei porque me chateio tanto... - Mari foi até a parte azul com poucas anotações que eu havia feito durante a semana.

- Você também não respondeu à pergunta que eu te fiz. - Eu novamente suspirei. Havia feito várias anotações mas ao fim delas eu me desviava, pois eu não achava que para ter um corpo bonito ou para comprar roupas bonitas motivos suficientes fortes. Eram motivos. Motivos fúteis, mas eram motivos...

Mari se levantou e abriu a porta do armário no canto do apartamento. Havia muitas coisas!

- Gosta de trabalhos manuais? - Eu ri um pouco.

- Sou um desastre no que eu tentei.

- E o que você tentou?

- Biscuit, Tricô, crochê, bordados eu não sou tão ruim, mas não tenho muita paciência para ficar riscando coisas, macramé, desenho...

- Patchwork? - Eu ri um pouco.

- Não... nunca tentei isso....

- Gostaria de tentar? - Eu sorri. Mari tinha o dom de conseguir me tirar da chateação que eu me encontrava.

- O que isso tem a ver com eu perder peso?

- Emagrecer. Se você perder peso vai encontrá-lo novamente... o que isso tem a ver com emagrecer? Deixa-me ver.... nada! Só achei que seria bom você encontrar outro hobby no lugar de sentar na frente da TV à noite e comer... poderia fazer um trabalho... talvez uma manta para seu filho ou uma bonita toalha de mesa para o Natal...

- O Natal está longe.

- E patchwork também não é algo difícil... mas para um trabalho bonito necessita de tempo... Comece com algo pequeno... que tal uma almofada? Você disse que não era ruim em bordados... e não precisa riscar muito, só juntar retalhos! Vamos... Vai ser divertido...

Eu apenas meneei com a cabeça... Depois que eu finalmente consegui juntar 3 retalhos me dei conta que já se passavam das 10. Eu me levantei anunciando que tinha que ir embora... Mari pegou um cesto com muitos retalhos mais o trabalho que eu tinha começado e me entregou...

- esta é a sua tarefa desta semana... Traga alguma coisa na próxima segunda, ta? - eu sorri e saí apressadamente. Ao chegar em casa eu tinha notado que nem havíamos tirado medidas e nem pesado. Pensei em ligar mas já era muito tarde. Cansada, eu fui dormir.

Durante a semana eu continuei anotando e como Mari tinha me dito á noite eu trabalhava nos tecidos... Aquilo me distraia de tal forma que eu nem via o tempo passar... Sem falar que eu ria da curiosidade de TJ ao ver aqueles paninhos coloridos juntos...

Ao chegar o fim de semana eu tinha percebido que não tinha havido uma única noite que eu capotara no sofá da sala. Quando eu não conseguia mais costurar eu punha o trabalho de lado e ia dormir.

No fim de semana eu não conseguira mais voltar a pegar no trabalho mas no sábado à tarde de compras não resisti ao passar em frente a uma loja de tecidos... comprei alguns retalhos que estavam na promoção tendo em vista a manta para TJ que Mari tinha sugerido.


Na segunda eu me sentia mais leve ao bater na porta do apartamento de Mari. Ela me recebeu com um grande sorriso. Sentamos começamos a conversar sobre os trabalhos e os tecidos que eu havia comprado. Uma hora depois ela me perguntou sobre o diário. Eu entreguei, orgulhosa de mim mesma pois eu tinha aumentado a quantidade de água durante o dia...

Mari não se demorou tanto desta vez e fechou o caderno com um sorriso:

- E aí? Vamos pesar? - Eu respirei fundo e subi na Balança. A voz da Mari estava bem animada.

- Olha só! Você emagreceu 2,500 kgs!

- O QUE??? Mas como?? Eu não estou fazendo dieta! - Ela sorria e anotava o peso no Diário.

- É mas parou de se entupir de doce à noite e está melhorando o seu sono... Isso influencia, sabe? - Ela depositou o diário na mesa e tirou as medidas. Mas eu não conseguia conter o sorriso! Mais de 2 kilos? Em duas semanas? Sem dieta? Estava começando a achar que era milagre ou a variação que a Mari falara da ultima vez...

- Vamos ver a sua próxima tarefa... Você está obrigada a comer uma fruta por dia... - Eu fiz uma careta.

- Eu não gosto de frutas... - Mari sorriu condescendente...

- Não é possível... tem que haver alguma que você goste! Vamos!! Não importa qual. Coma uma fruta por dia. Também não importa muito o horário... - Eu acenei com a cabeça.

- Tá... eu vou tentar... - Nesse momento ela fechou o sorriso. Foi a primeira vez (de muitas depois dessa) que eu vi a Mari séria.

- Não. Nada de tentativas. Faça ou não faça. Não há meio termo. Tentativas são ações fadadas ao fracasso. Se você fizer e não der certo, aí sim é outra história. Mas faça. Só. - Essa me surpreendeu... mesmo! Eu acenei com a cabeça e saí.

Estranhamente, foi à primeira vez que eu vi a Mari séria. E aquilo me assustou um pouco. Mas depois eu me lembrei da pesagem... Olhei para a cesta que estava em minha mão. Decidi apagar as dúvidas da minha mente. Fui ao supermercado e comprei exatamente 7 maçãs.

Naquela semana, eu IRIA comer uma fruta por dia.

Um comentário:

Sammy Leilane disse...

A gente é cheio de conceitos e preocnceitos na dieta, temos essa mania de achar qeu tal dia tp mais magra, que tal dia a lua rege na pilha da balança... com o tempo a gente aprende que tem nada a ver... bjus!